20.4.09

infinitas são as estrelas; mais infinito é o céu





perfeição tem um brilho magnífico e fugidio, como um dia que, de repente, amanhece azul e radiante, sem uma única nuvem no céu.
se você tentar descobrir como é antes de deixar ser, não vai funcionar nem vai adiantar.
existem algumas outras coisas que são assim e estas são as coisas mais lindas do mundo.

a coisa mais linda do mundo...

tempos atrás, numa dessas noites em que dá vontade de hibernar até o frio passar, vi um daqueles filmes que a gente acha que vai esquecer e eles passam a perna na gente.
o filme, lembro, chamava “alma de poeta, olhos de sinatra” (o título original é “dream for an insomniac”).
era um filme em preto e branco e fiquei olhando pra ele porque não havia um motivo sequer que justificasse o filme ser em preto e branco.
depois de um tempo, esqueci de buscar a resposta e fui só acompanhando com os olhos pra ver onde aquilo ia dar.
aí tem que, no filme, tem um personagem principal (um escritor que não consegue escrever) e tem uma personagem principal (uma atriz desempregada que não consegue dormir).
os dois não se conhecem e nunca se viram, até que ela entra na loja em que ele trabalha.
não lembro direito como acontece, mas acho ele tá pegando alguma coisa embaixo do balcão e, quando se levanta, seus olhos se encontram com os olhos dela.
neste momento, quando aqueles dois olhares se cruzam, o filme, que era em preto e branco, explode em cores e nunca mais volta a ser o que era, que é bem aquele tipo de coisa que você acha que nunca pode acontecer.

e foi bem isso que aconteceu.

e agora estou aqui, olhando para minhas duas mãos e tentando fazer com que elas, ao mesmo tempo tímidas e ousadas, toquem a perfeição com os dedos.

meu dedos, minhas mãos, minha vida, meu coração
o mundo inteiro
grande

a coisa mais linda do mundo me toca e eu me sinto vivo, num mundo com cores, de mãos enlaçadas e um eco que me faz rir encantado e fascinado.

e o mundo cresce a cada segundo
a cada minuto, mais mundo há

e eu me calo diante da beleza de tudo isso e da perfeição de tudo aquilo.

cada mundo tem seu céu.

e o céu do meu mundo,
a coisa mais linda do mundo,
tem mais estrelas que meus dedos trêmulos são capazes de contar.
e meu coração sobe de encontro ao céu
e, de lá de cima, grita ao mundo as palavras de drummond:
“— Ó vida futura! nós te criaremos”

1 comentários:

Rose Carreiro disse...

Morri de inveja.

=*