25.5.09

As bolas de Ali (divididas em várias partes) Pt.05



Como íamos dizendo: a luta entre George Foreman e Muhammad Ali foi, pra muita gente, a maior de todas as exibições de boxe que já se viu.

Os dois lutaram em outubro de 1974, no Zaire, na África, e o mundo todo previa uma derrota de Ali.
Howard Cosell, analista de boxe e um dos grandes entusiastas de Ali, declarou o favoritismo de Foreman ao dizer que Ali não era mais aquele.
Ali prontamente respondeu dizendo: “Você sempre diz isso: 'Muhammad, você não é mais o mesmo homem que era 10 anos atrás'. Bom, eu perguntei pra sua esposa e ela me disse que você não é o mesmo homem que era DOIS anos atrás”.

O fato é que ninguém botava fé em Ali.

Mesmo em seu corner, todo mundo achava que, naquela noite, no Zaire, Ali seria vítima da própria arrogância.
O que aconteceu foi o seguinte: existe um tipo de golpe, que meio uma mistura de jab com um direto, que nenhum lutador jamais ousaria em uma luta desse porte.
O motivo é simples: você tem que ser muito rápido fazendo isso porque esse tipo de golpe deixa sua guarda aberta para um gancho de esquerda que, caso venha de Foreman, pode arrancar sua cabeça fora.

Foi com esse tipo de golpe que Ali atingiu Foreman DOZE vezes no primeiro assalto.

É uma molecagem.
É o tipo de coisa que sujeito precisa saber MUITO pra se meter a fazer.
Tanto que nenhum dos sparrings de Foreman, todos regiamente pagos para emular Ali, pensou em tentar uma coisa dessas.
É como dar um chubaba no Chewbacca: ele vai arrancar seu braço.
Só que, como em luta de boxe é proibido arrancar o braço dos outros, Foreman ficou POSSESSO e foi pra cima de Ali como um trator.

Daí, Ali botou em prática a segunda parte do seu plano.

Foreman tinha um cartel de 40 lutas, com 40 vitórias e 37 delas por nocaute e a grande maioria delas não passou do terceiro assalto. Daí, Ali tirou a teoria de que Foreman talvez não estivesse preparado para ir além do quinto round.
Por isso, ele se retraiu para as cordas, deixou com que Foreman batesse tanto quanto pudesse no seu corpo, metia uns contragolpes de vez em quando e – durante todo o tempo – ficou provocando o campeão, dizendo pra ele coisas como: “Como é, George? Isso é tudo que você tem?”.

No sétimo assalto, Foreman estava exausto e seus golpes não eram mais aqueles do começo da luta. Daí, Ali saiu das cordas e desceu porrada. Foreman voltou parao oitavo round disposto a acabar a luta, mas Ali o fez antes, atraindo o campeão para o centro do ringue e com uma sequência perfeita de golpes, derrubou Foreman, que não levantou mais.



Aqui embaixo tem o vídeo do oitavo assalto da luta.
Pode reparar que Ali derruba Foreman faltando quase dez segundos pro fim do assalto.
Percebe que ele chega a armar um último soco e não solta a mão?
Seria desumano.
Seria desonrado.
Seria desnecessário.



Pra ser “o maior de todos” ele já havia aprendido a perder.
No Zaire, Ali mostrou – de um jeito indiscutível – que sabia ganhar tanto com os punhos quanto com a inteligência.

E, quando Foreman disputou o título mundial mais uma vez, aos 45 anos, Ali decidiu não ir à luta pra não chamar atenção indevida.
“É o momento do George”, disse ele, que tem Foreman ainda hoje como um de seus melhores amigos.
Ou seja: além de tudo, Ali deve ser beta-tester de toda linha George Foreman Grill.

0 comentários: