2.3.09

Quando eu não te tinha





Quando eu não te tinha
Amava a Natureza como um monge calmo a Cristo.
Agora amo a Natureza
Como um monge calmo à Virgem Maria,
Religiosamente, a meu modo, como dantes,
Mas de outra maneira mais comovida e próxima ...
Vejo melhor os rios quando vou contigo
Pelos campos até à beira dos rios;
Sentado a teu lado reparando nas nuvens
Reparo nelas melhor —
Tu não me tiraste a Natureza ...
Tu mudaste a Natureza ...
Trouxeste-me a Natureza para o pé de mim,
Por tu existires vejo-a melhor, mas a mesma,
Por tu me amares, amo-a do mesmo modo, mas mais,
Por tu me escolheres para te ter e te amar,
Os meus olhos fitaram-na mais demoradamente
Sobre todas as cousas.
Não me arrependo do que fui outrora
Porque ainda o sou.

(Quando eu não te tinha, em "Pastor Amoroso", de Alberto Caeiro/Fernando Pessoa)

2 comentários:

Calu Baroncelli disse...

Quando eu não te tinha
ia dormir às 5 da matina
e acordava só depois das quatro e meia...
Agora vou dormir
às seis da manhã
e acordo antes das dez e meia...

(lembra que eu te falei que apaixonados dormem menos? rs rs)

Joice Viana disse...

Quando eu não te tinha. Tetinha. Tits. Boobies. Desculpa, parei =|

Fê, adorei isso de 'Fê' hahahaha
É, eu tenho um tio lelé chamado Fernando, um melhor amigo gay chamado Fernando e um sommelier velho e bêbado chamado Fernando. Bom que você seja Fê hahahahaha
=*